São Paulo – Depois de implantar em tempo recorde um programa de alimentação sustentável em sua rede escolar, a Prefeitura de Salvador receberá no próximo dia 15 de setembro o Selo REMMA (Reconhecimento pelo Engajamento na Mitigação de Mudanças Climáticas através da Alimentação).

O selo será concedido pelo programa Alimentação Consciente Brasil (ACB), operado pela organização Mercy For Animals (MFA), e pela Humane Society International (HSI). E foi criado para reconhecer municípios pela sua liderança no enfrentamento da crise climática pela alimentação.  

Em parceria com o ACB, a HSI e as secretarias de Educação (SMED) e Sustentabilidade, Inovação e Resiliência (SECIS), o município de Salvador introduziu o programa Educando para Sustentabilidade. A colaboração intersetorial foi essencial para que em apenas cinco meses a iniciativa pudesse ser integralmente implementada, desde o fechamento do acordo em março.

Na prática, o objetivo do programa é incluir uma variedade maior de alimentos vegetais, como frutas, verduras, legumes e cereais, nos pratos da alimentação escolar, substituindo 20% de ingredientes de origem animal. 

Além do maior impacto em saúde pública, com introdução de nutrientes importantes, como vitaminas, minerais e fibras, que podem atuar na prevenção de doenças como obesidade e doenças correlacionadas como diabetes, a iniciativa pode contribuir para economia de água, diminuição de perda de biodiversidade e redução da emissão de gases do efeito estufa. 

Em Salvador, a iniciativa impactará mais de 10 milhões de refeições por ano, com mais opções de alimentos saudáveis. Para isso, foi realizada capacitação em culinária vegetal das equipes de cozinha municipais que atuam nas 425 escolas e servem mais de 170 mil estudantes da rede municipal.

“O programa já está implantado em todas as escolas da nossa rede e tem sido um sucesso de aceitação. Em um dia da semana, as crianças que estudam em turno integral degustam receitas envolvendo cereais, verduras e vegetais, experimentando novas preparações, despertando nelas o interesse por alimentos mais saudáveis. Nas escolas de turno regular, esse cardápio é aplicado quinzenalmente. Vamos receber esse SELO em reconhecimento pelo nosso esforço em implantar com sucesso, e em tempo recorde, o projeto numa rede de ensino da escala de Salvador”, disse o Secretário Municipal de Educação, Marcelo Oliveira. 

Para a Secretária da SECIS, Marcelle Moraes, a iniciativa é um marco de modernidade e consciência junto aos estudantes da rede municipal. “Nossa cidade mostra mais uma vez a capacidade de implementação de ações pioneiras nas áreas da sustentabilidade e educação. Um dos grandes destaques dessa iniciativa está na capacidade de fomentar estratégias sustentáveis com impactos sociais relevantes, sobretudo, para as camadas mais carentes da capital baiana”, destacou a gestora. 

A Gerente Sênior de Políticas Alimentares do ACB, Alice Martins, conta que o programa de alimentação sustentável representa uma contribuição expressiva para “uma mudança sistêmica na cultura alimentar”

“O impacto da política pública no indivíduo em formação é muito importante. A conscientização para a formação de novos hábitos alimentares saudáveis é um dos impactos mais importantes desse programa, que também se reflete em melhora de saúde pública e planetária.”, avalia a Gerente de Políticas Alimentares da HSI, Thayana Oliveira.

 

Fórum Global de Política Alimentar

Em outubro, Salvador será levado como caso de sucesso ao evento internacional do Pacto de Milão, que ocorrerá no Rio de Janeiro, para falar sobre alimentação sustentável no âmbito de políticas públicas. O painel em que a cidade apresentará seu caso é co-organizado com a C40 Cities, rede global de megacidades focada no combate à crise climática, da qual Salvador faz parte e participa, entre outras iniciativas, da rede temática de sistemas alimentares. 

A cidade do Rio de Janeiro foi escolhida para sediar o 8º Fórum Global do Pacto de Milão sobre Política Alimentar Urbana, entre os dias 17 a 19 de outubro de 2022, e o ACB, a HSI e C40 co-organizarão o painel com o tema “Comida para nutrir a Justiça Climática”. A proposta é destacar que o enfrentamento das emergências globais (ambiental e climática) só serão alcançados com a transição para sistemas alimentares sustentáveis, soberanos e inclusivos.”

Para conhecer  mais sobre o ACB,  a HSI e os recursos oferecidos gratuitamente para as instituições, entre em contato com a equipe através dos e-mails [email protected] e [email protected], ou acesse alimentacaoconsciente.org e carnesdaterra.org. 

 

Sobre a C40 – A C40 é uma rede de prefeitos e prefeitas de quase 100 das maiores cidades do mundo que colaboram para implementar as ações urgentes necessárias para enfrentar a crise climática. Juntos, podemos criar um futuro onde todos, em todos os lugares, possam prosperar. Para mais informações sobre a organização, acesse www.c40.org.

Sobre a HSICom presença em mais de 50 países, a Humane Society International (HSI) trabalha em todo o mundo para promover o vínculo humano-animal, resgatar e proteger cães e gatos, melhorar o bem-estar dos animais de fazenda, proteger a vida selvagem, promover testes e pesquisas livres de animais, responder a desastres e enfrentar a crueldade com os animais em todas as suas formas. Saiba mais sobre nosso trabalho em hsi.org. Siga a HSI no Twitter, Facebook e Instagram.

Sobre a MFA –  É uma das principais organizações sem fins lucrativos do mundo dedicada ao fim da exploração animal em fazendas industriais e na indústria da pesca. Fundada há 21 anos nos Estados Unidos e presente no Brasil desde 2015, a MFA atua em outros países da América Latina, no Canadá, na Índia e está expandindo operações no leste e sudeste asiático, para construir um sistema alimentar mais justo e sustentável. Para mais informações sobre a organização, acesse www.mercyforanimals.org.br.