Dados do Observatório do Clima, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e de relatório da Mercy For Animals mostram que: 

  • Altamira-PA é a cidade líder em desmatamento no Brasil e tem o 15º maior rebanho de bois do país.
  • São Félix do Xingu-PA ocupa o 2º lugar na lista do desmatamento, e é o município com maior população de bois.
  • Já Porto Velho-RO é o 3º lugar na lista de desmatamento do país e, no ranking de rebanho bovino, ocupa o 5º lugar.

Essas três cidades lideram, ainda, o ranking de emissões de CO2 no Brasil. Juntas, elas emitem mais gás carbônico do que a cidade de São Paulo.

Outras 4 cidades da região amazônica também estão na lista das 10 maiores responsáveis pela emissão de carbono enquanto ocupam também as primeiras posições na taxa de desmatamento.

Isso não é coincidência.

 

Relação entre pecuária, desmatamento e emissão de CO2

Apenas em 2019, 43,3 milhões de bois foram abatidos no Brasil para produzir 10,5 milhões de toneladas de carne.

E não é à toa que os locais onde há as maiores populações de bois sejam também as regiões com maiores taxas de desmatamento.

Para atender a uma demanda tão alta, é necessário desmatar milhares de quilômetros de terra e transformá-los em pastagem. 

O desmatamento produz toneladas de C02 que, somadas às emissões de gases dos próprios animais e dos processos de produção de ração para alimentá-los, contribuem para que essas cidades ocupem os primeiros lugares das listas.

 

E o que a Floresta Amazônica tem a ver com isso?

A Amazônia é a região onde é produzida a maioria da carne de boi brasileira enviada para o mercado internacional.

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), de 1990 a 2005, mais de 80% da área desmatada na Amazônia brasileira foi transformada em pasto. 

De 2015 a 2017, a Amazônia exportou 1,3 milhões de toneladas de carne de boi.

E a destruição não parou por aí.

Apenas nos seis primeiros meses de 2020, a taxa de desmatamento aumentou 25% em relação ao mesmo período do ano anterior. E esse desmatamento tem relação direta com a pecuária e a criação de animais para consumo.

Em 2019, lançamos a campanha Por Trás do Fogo, que mostra essa conexão de forma detalhada. Acesse o relatório e saiba mais.

 

Quais são as consequências das altas emissões de CO2?

O excesso de gás carbônico gera o efeito estufa, responsável pelo aquecimento global e suas consequências desastrosas para o planeta, como:

Mas nós podemos ajudar a reduzir o desmatamento e as emissões de C02.

Deixando a carne fora do prato, damos um importante passo rumo a um mundo mais sustentável para as pessoas, os animais e o planeta. Participe do Desafio 21 Sem Carne e ajude a mudar essa realidade!