ANCHIETA (SC). O programa Alimentação Consciente Brasil (ACB), desenvolvido pela organização Mercy For Animals, e a Humane Society International (HSI), concederam no último 17 de agosto, o Selo REMMA (Reconhecimento pelo Engajamento na Mitigação de Mudanças Climáticas através da Alimentação) à Prefeitura Municipal de Anchieta (SC), em um evento solene com a presença do prefeito Ivan José Canci e da Secretária de Educação, Selma Antonia Giongo. O selo foi criado pelas duas organizações para reconhecer municípios pela sua liderança e comprometimento em avançar e mitigar questões climáticas por meio da alimentação, com a implantação do programa em seus equipamentos públicos. 

 

O programa Anchieta Sustentável foi implantado em março de 2022 em todas as escolas municipais e iniciativas de assistência social, garantindo que mais de 1.200 estudantes e pessoas atendidas pelo município tenham acesso a mais verduras, legumes, grãos e frutas em seus pratos. A iniciativa, que amplia a utilização de alimentos vegetais, contribui para a  saúde pública, como também ajuda a preservar o meio ambiente.

 

A iniciativa do ACB e da HSI foi criada para atender às demandas e necessidades de instituições públicas que servem refeições em larga escala.  Ela é formada por um time de nutricionistas, chefs e profissionais especializados, que oferecem consultoria 100% gratuita para  instituições parceiras implantarem o programa.

 

O apoio inclui o desenvolvimento de cardápio, treinamentos teóricos em educação nutricional e ambiental, treinamentos práticos em alimentação à base de vegetais direcionados para nutricionistas, equipes pedagógicas e de cozinha. Além disso, todas as pessoas envolvidas no processo de implantação da iniciativa recebem materiais de suporte de educação nutricional e ambiental impressos e virtuais para apoiar uma implementação de sucesso, que é acompanhada continuamente. 

 

“O objetivo principal é a inclusão de uma variedade maior de alimentos vegetais, como frutas, verduras, legumes e cereais, como a base de uma alimentação saudável, de acordo com as recomendações das principais autoridades nacionais e mundiais no assunto, como o Ministério da Saúde, através de seu Guia Alimentar para a População Brasileira, e a Organização Mundial da Saúde”, conta Thayana Oliveira, Gerente de Políticas Alimentares da HSI. 

 

Para alcançar esse objetivo, a parceria substitui 20% de ingredientes de origem animal por ingredientes vegetais, o que equivale ao cardápio de um dia da semana. As receitas foram desenvolvidas de acordo com os insumos licitados e oferecidos nas instituições públicas, considerando também a cultura alimentar da região, a infraestrutura das cozinhas e as resoluções que as instituições devem seguir, de acordo com o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). As instituições participantes são encorajadas a preparar as refeições apenas com ingredientes in-natura e provenientes de formas mais justas de produção, como a agricultura familiar.

 

“Fazendo essa inclusão no cardápio de instituições que servem refeições em larga escala, como escolas e iniciativas de assistência social, conseguimos contribuir significativamente para uma mudança sistêmica na cultura alimentar, além de influenciar uma mudança individual de consumo para quem tem poder de escolha sobre sua alimentação”, diz Alice Martins, Gerente Sênior de Políticas Alimentares do ACB.

 

A iniciativa também ajuda o município de Anchieta a alcançar cinco dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) definidos pela Organização das Nações Unidas (a ONU), que são Fome Zero e Agricultura Sustentável (ODS2), Educação e Qualidade (ODS4), Produção e Consumo Sustentáveis (ODS12), Ação Climática (ODS13) e Parcerias e Meios de Implementação (ODS17). 

 

Estimativas com metodologia científica do ACB e HSI para o impacto ambiental mostram que, as cerca de 50 mil refeições à base de vegetais servidas anualmente, podem contribuir para que cerca de:

90 toneladas de soja sejam produzidas nas terras poupadas, o suficiente para alimentar mais de 1.000 adultos por 1 ano;

– 30 hectares de florestas sejam preservados, o equivalente a cerca de 30 campos de futebol;

– meio milhão de litros de água sejam economizados, o equivalente a mais de 3 mil banhos de 15 minutos;

– 100 toneladas de CO2 não sejam emitidas, o equivalente a cerca de 1 milhão de km não rodados de carro.

Para conhecer  mais sobre o ACB,  a HSI e os recursos oferecidos gratuitamente para as instituições, entre em contato com a equipe através dos e-mails [email protected] e [email protected], ou acesse alimentacaoconsciente.org e carnesdaterra.org. 

 

Sobre a HSICom presença em mais de 50 países, a Humane Society International (HSI) trabalha em todo o mundo para promover o vínculo humano-animal, resgatar e proteger cães e gatos, melhorar o bem-estar dos animais de fazenda, proteger a vida selvagem, promover testes e pesquisas livres de animais, responder a desastres e enfrentar a crueldade com os animais em todas as suas formas. Saiba mais sobre nosso trabalho em hsi.org. Siga a HSI no Twitter, Facebook e Instagram.

Sobre a MFA –  É uma das principais organizações sem fins lucrativos do mundo dedicada ao fim da exploração animal em fazendas industriais e na indústria da pesca. Fundada há 21 anos nos Estados Unidos e presente no Brasil desde 2015, a MFA atua em outros países da América Latina, no Canadá, na Índia e está expandindo operações no leste e sudeste asiático, para construir um sistema alimentar mais justo e sustentável. Para mais informações sobre a organização, acesse www.mercyforanimals.org.br