O final do ano passado e início de 2018 tiveram alguns dos momentos mais marcantes para o movimento de defesa animal do Brasil, em decorrência do caso do Porto de Santos e da forte retomada das exportações de gado vivo pelo país.

Apesar do ativismo ter causado dor de cabeça para os produtores, consultorias têm apostado que o Brasil deverá embarcar mais de 1 milhão de bois e vacas nos próximos três anos e assumir liderança desse mercado. Atualmente, o Brasil é o quinto maior exportador de gado vivo, segundo o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), sendo o México o maior exportador.

A alavancada se deve ao fato de o Brasil ter encontrado na Turquia um parceiro comercial ideal, já que a Venezuela, para onde boa parte dos animais eram exportados antes, entrou em grave crise econômica.

“Temos totais condições de exportar mais de 1 milhão de cabeças por ano e assumir o topo do ranking desse mercado”, destacou, na matéria publicada pelo Portal DBO, o analista Rodrigo Albuquerque, da NF2R.

Por que o transporte é especialmente cruel

A viagem desses bois pode durar semanas e causa intenso sofrimento aos animais: eles passam dias, e em alguns casos até semanas, dentro da carroceria de caminhões ou em navios, sem espaço para andar ou se deitar, sem segurança, sob calor e frio intensos, envoltos em fezes e urina, sem acesso a água ou ração adequadas. Alguns chegam feridos ou até mortos ao destino. Veja aqui fotos, registradas pela veterinária Magda Regina, de dentro do navio Nada, que mostram os maus-tratos a que que esses animais são submetidos durante o transporte.

Porém, os maus-tratos não acabam quando eles chegam ao destino, em geral países do Oriente Médio. Lá, esses animais passam por alguns meses de engorda, já que são exportados ainda filhotes. Depois disso, são abatidos de acordo com as regras do abate halal, exigência da religião muçulmana. Para isso, é feito o corte da artéria carótida e da veia jugular na área do pescoço e o animal sangra enquanto ainda está vivo e muitas vezes consciente, suspenso pelas patas traseiras. Somente então é decepado.

Ter um negócio bilionário e crescente envolvido em uma trama em que tantos animais são maltratados só torna mais urgente a proibição da exportação de animais vivos.

Ficou comovido com os bois do Porto de Santos? Veja aqui 10 dicas de como ajudar os animais.