O que não nos contam sobre o consumo de carne e seus impactos negativos na saúde

É comum ouvir que consumir carne é essencial para a nossa saúde; que é o único jeito de conseguir proteínas; que pessoas veganas e vegetarianas têm mais predisposição para doenças e ficam mais indefesas diante de vírus e bactérias.  

Porém, estudos recentes mostram que uma alimentação baseada em vegetais costuma ser mais benéfica e saudável se comparada a uma alimentação à base de carnes, ovos e laticínios que, segundo pesquisas, podem estar ligadas a um grande número de doenças, incluindo as maiores causas de morte no mundo: câncer, problemas cardiovasculares e diabetes.

 

Câncer

A Agência Internacional de Pesquisa em Câncer, analisou diferentes estudos e concluiu que existem evidências suficientes para indicar que a carne processada é cancerígena.

Bacon não é vida! Segundo pesquisa publicada pela PucMed, comer cinco pedaços de bacon por dia pode aumentar em 20% o risco de desenvolver câncer colorretal e em 16% de câncer de pulmão.

As mulheres também podem ser vítimas da alimentação. As que ingerem mais de três porções de carne processada por semana correm duas vezes mais risco de desenvolver câncer de estômago do que as que consomem menos de 1,5 porção de carne processada por semana, segundo este artigo

E outro estudo, publicado pela US National Library of Medicine National Institutes of Health, aponta que o maior consumo de alguns tipos de queijo está associado com um aumento de 53% no risco de incidência do câncer de mama.

Também foi demonstrado que a dieta à base de vegetais tem características de proteção contra a mortalidade relacionada ao câncer de mama, apontando para um risco de mortalidade 48% menor.

 

Doenças cardiovasculares

Ingerir mais gordura saturada, encontrada na carne, aumenta o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. Para alguns pesquisadores no tema, o consumo de carne processada está associado a um risco 42% maior de desenvolvimento de doenças cardíacas.

Na contramão, uma dieta baseada em produtos de origem vegetal reduz esses problemas, e pessoas veganas têm um risco 75% menor de desenvolver hipertensão quando comparadas a pessoas que comem carne. Além disso, a substituição da gordura dos laticínios pela gordura vegetal pode diminuir o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares em 24%.

 

Diabetes tipo 2

A diabetes tipo 2 também é associada ao consumo de carne. Foi descoberto que ingerir uma salsicha por dia aumenta o risco de incidência da doença em 27%, enquanto uma porção de bacon dobra o risco. 

Muitas dessas doenças podem ser prevenidas, tratadas ou até revertidas com o aumento do consumo de alimentos de origem vegetal, que, além de serem muito mais benéficos, melhoram consideravelmente o aspecto e a saúde da pele e do corpo.

Nosso país tropical e cheio de vida nos oferece uma variedade enorme de alimentos, com diferentes tipos de nutrientes e benefícios para o nosso organismo. De A a Z, os alimentos vegetais dão tudo o que precisamos para ter uma alimentação equilibrada.

 

Conheça o projeto Feijão com Arroz, que ajuda você a fazer mudanças simples no seu prato do dia a dia para ter uma alimentação 100% vegetal e mais saudável.