Búfalas de Brotas: a exploração por trás da mussarela de búfala

Nas últimas semanas, foi determinado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) que as mais de 900 búfalas de um dos casos mais impactantes de maus-tratos animais do Brasil ficassem sob nova tutela de dois santuários: Vale da Rainha e Rancho dos Gnomos.

Apesar da decisão visar a garantia de melhor qualidade de vida para os animais, ainda existem muitos desafios pela frente e inúmeros outros búfalos sendo explorados pela indústria da carne e do leite – que é usado na produção de mussarela de búfala.

Relembre o caso das Búfalas de Brotas

Em novembro de 2021, veio a público uma notícia chocante sobre a situação de diversas búfalas que viviam sob condições de maus-tratos, em uma fazenda de Brotas, no interior de São Paulo. Muitas eram jovens e estavam em fase de gestação.

Após denúncia, a Polícia Ambiental da região encontrou cerca de 1000 animais vivendo em situação de abandono, sem água ou comida, muitos apresentando claros sinais de desnutrição. No mesmo local foram encontrados muitos  animais que não resistiram e já estavam mortos em estado de decomposição.

Alguns grupos destinados ao cuidado e bem-estar animal estiveram no local e montaram um hospital de campanha para monitorar e prestar atendimento aos animais desnutridos e machucados. Graças ao apoio de ativistas e doadores, as búfalas e bezerros sobreviventes foram resgatadas e ficaram sob tutela da ONG ARA (Amor e Respeito Animal) até outubro de 2023.

A criação de búfalos na indústria da carne

Os bubalinos (Bubalus bubalis) são originários da Ásia, mas, por conta do consumo de produtos como carne, leite e queijo, rapidamente se expandiram para o restante do mundo. Só no Brasil, existem cerca de 3 milhões de búfalos e, ainda que sua exploração no país seja uma prática recente, o número populacional já é o maior das Américas.

Esse avanço é um grande risco para a espécie, que precisa se adaptar a um novo ambiente e novas condições de “vida”. Os búfalos também são vistos pela indústria brasileira, inequivocamente, como animais rústicos. Por isso, muitas vezes, há descaso em relação aos cuidados, até mesmo básicos, com esses animais sensíveis e inteligentes.

Entre as terríveis situações a que esses animais são submetidos pela indústria, destacam-se doenças, traumatismos, condições limitadas de alojamento e mutilações são as mais recorrentes, mas o caso das Búfalas de Brotas evidencia que podem ocorrer muitas outras formas de sofrimento e violações dos direitos desses animais.

A indústria do leite de búfalas

As vacas não são as únicas que são submetidas à exploração e ao sofrimento na indústria do leite, as búfalas também consideradas e “usadas” como máquinas de produção incansável.

Assim como qualquer mamífero, as búfalas precisam passar por ciclos de gestação para dar leite. Na indústria, elas frequentemente são engravidadas à força e de forma recorrente ao longo da vida. Após o parto, muitas dessas búfalas são separadas de seus filhotes para que o seu leite seja explorado para o consumo humano ao invés de amamentá-los, rompendo qualquer laço emocional materno.  

Uma prática terrível e comum nessa indústria para aumentar a produção é a aplicação de ocitocina exógena, para estimular a ejeção do leite. As doses injetadas são consideradas muito elevadas comparado aos níveis fisiológicos normais. As consequências dessa prática envolvem a ocorrência de processos inflamatórios nas veias mamárias, que podem provocar abscessos. Além disso, existe a possibilidade de transmissão de doenças infectocontagiosas entre as búfalas do rebanho se for utilizada a mesma agulha.

O consumo de produtos como leite e queijo – como a mussarela de búfala – tem feito a indústria mecanizar mais os sistemas de produção. Algumas dessas técnicas, junto com a mudança de habitat, fazem os animais conviver com altos níveis de estresse.

Quando a produção de leite cai em níveis abaixo do desejado pelos produtores ou as búfalas apresentam problemas de saúde que não há interesse comercial em tratar, elas são consideradas “inúteis” e, em sua maioria, são descartadas e levadas para o abate.

O que vai acontecer com as Búfalas de Brotas?

A perspectiva é que elas sejam transferidas para os Santuários Vale da Rainha e Rancho dos Gnomos, onde elas terão uma vida mais digna e serão respeitadas, protegidas e livres. Para que as búfalas sejam transportadas e seja possível manter os cuidados necessários para a manutenção do seu bem estar, é preciso arcar com os custos, que são altos.

Ajude centenas de búfalas a irem para suas novas casas, doe agora para o Rancho dos Gnomos e o Santuário Vale da Rainha.

 

Toda contribuição faz a diferença

PIX Santuário Vale da Rainha: CNPJ 41148294000180

Ou acesse svr.org.br/apoiomensal

PIX Santuário Rancho dos Gnomos: CNPJ 04087616000100

Ou acesse https://ranchodosgnomos.org.br/novo/doe/