EscolhaVeg.com.br Loja [email protected]

Pesquisa IPSOS

Pesquisa Mostra Que A Grande Maioria Dos Entrevistados Rejeita Produtos Que Dependam De Sofrimento Animal

Pesquisa encomendada pela ONG Mercy For Animals e realizada pelo Instituto IPSOS em agosto de 2017 consultou 1.001 internautas e demonstrou uma nítida preocupação dos entrevistados em relação aos animais criados para produção de alimentos.

Ao analisar imagens reais do tratamento ao qual são submetidas as galinhas que vivem em “gaiolas em bateria”, 82% dos entrevistados qualificaram a prática como inaceitável e 71% consideraram inaceitável a venda desses ovos em supermercados e restaurantes.

Confinamento de galinhas em gaiolas limitando seus movimentos em espaços minúsculos

Supermercados e restaurantes venderem ovos de galinhas confinadas em gaiolas

A preocupação do consumidor vai além do confinamento extremo das galinhas criadas em gaiolas em bateria. Quando a pergunta foi sobre o tratamento em geral dado aos animais na produção de alimentos, 81% dos entrevistados se mostraram moderadamente ou muito preocupados e 82% relataram não aceitar o confinamento de animais, de modo geral, em espaços pequenos para fins de produção de alimentos.

Forma como os animais são tratados na produção de alimentos

Confinar animais, de modo geral, em espaços pequenos, fazendo com que eles mal possam se mexer, para fins de produção de alimentos

Esses dados sugerem que o consumidor moderno está mais preocupado com a procedência de seus alimentos, incluindo a forma como os animais são tratados. Os resultados indicam que eles buscam transparência na oferta e não aceitam que seus produtos dependam de sofrimento animal: 89% dos entrevistados concordam que ‘‘deveriam estar cientes da crueldade animal envolvida com os produtos vendidos’’ e 81% acreditam que os supermercados não deveriam vender esse tipo de produto:

Restaurantes e supermercados deveriam parar de oferecer produtos que dependam da crueldade animal mesmo que isso faça elevar os preços?

A conscientização da população sobre o que acontece com os animais em muitas fazendas de criação de animais para consumo, granjas e abatedouros cresce cada vez mais com o trabalho de ONGs como a Mercy For Animals. Consequentemente, a forma como os animais são confinados em diversas fazendas e granjas modernas vem ganhando destaque e rejeição: 86% dos entrevistados concordam que ‘‘o Brasil deveria banir o uso de gaiolas em bateria na produção de ovos no país.’’

O Brasil deveria seguir o exemplo da União Europeia e banir o uso de gaiolas em bateria na produção de ovos no país?

A preocupação dos entrevistados não para por aí: eles também concordam que o governo deva dar incentivo e apoio aos produtores para que adotem práticas de bem-estar animal. Para ter acesso a mais informações sobre a pesquisa, você pode acessar este link.

Em resposta ao trabalho de ONGs como a Mercy For Animals e à preocupação do consumidor quanto à situação dos animais “de produção”, mais de 50 empresas alimentícias líderes de mercado no Brasil já se comprometeram a eliminar em 100% de sua cadeia produtiva os ovos provenientes de operações que confinam aves em gaiolas. Dentre esses grandes líderes, estão o McDonald’s, Burger King, Subway, Bob’s, Pizza Hut, PepsiCo, Barilla, Nestlé, Unilever, Wickbold e Sodexo.

Nos últimos anos, além das empresas citadas acima, muitas outras estão atualizando suas políticas corporativas para não mais utilizar produtos que sejam oriundos de práticas que causam extremo sofrimento animal. Para ter acesso à lista das empresas já comprometidas publicamente a banir gaiolas de suas cadeias de suprimento, você pode clicar aqui.