Investigação em granja de ovos revela gripe aviária e riscos à saúde pública

A Mercy For Animals acaba de lançar uma nova investigação, que expõe graves ameaças à saúde pública em granjas de produção de ovos no México. As imagens mostram galinhas doentes, criadas em ambientes superlotados, sujos e insalubres.

O vídeo choca ao mostrar aves em sofrimento, sendo tratadas como meras máquinas de produção, confinadas em gaiolas, sem poder andar, ciscar ou abrir as asas. As galinhas vivem em meio a corpos em decomposição, já que frequentemente ficam presas, têm seus membros mutilados e morrem entre os aramados das gaiolas ou sob as bandejas de ração.

Para piorar a situação, nas fazendas industriais, os animais vivem em ambientes extremamente sujos e cheios de doenças, com esterco infestado de larvas. Em uma das fazendas, cerca de 900 aves morreram em um único dia de uma doença que, segundo os trabalhadores, era algum tipo de "gripe".

"Essas condições insalubres e superlotadas afetam o sistema imunológico das galinhas e criam o cenário propício para o surgimento de doenças que podem infectar seres humanos, representando graves ameaças à saúde pública", diz Linda Obregón, diretora-executiva da Mercy For Animals da América Latina.


Assim como em outros países, no Brasil, as fazendas industriais também apresentam constantes riscos para o surgimento de epidemias. Os animais vivem em constante estresse, têm uma alimentação diferente da natural, são confinados em espaços muito pequenos, sujos e sem saneamento adequado. Essas condições são favoráveis para que vírus sofram mutações, se espalhem e passem, então, a infectar seres humanos. Clique aqui para ver imagens de investigações nacionais feitas na indústria de ovos.

Recentemente, um relatório mostrou que frigoríficos do Brasil e do mundo apresentam alto risco pandêmico. Novas ondas de gripes aviárias são constantes em todo o mundo e, muitas vezes, saltam rapidamente de animais para seres humanos. Na história recente, os seres humanos foram infectados por diversos vírus de gripes zoonóticas, incluindo H7N9, H5N1, H5N6 e H7N2 de aves e H1N2 e H3N2 de porcos. A H5N1, por exemplo, tem uma taxa de mortalidade de 60% em humanos.

O atual sistema alimentar é insustentável e extremamente problemático. Nós podemos criar condições melhores para os animais, para o planeta e para as pessoas. Escolhendo uma alimentação 100% vegetal, promovemos saúde e protegemos as futuras gerações. Para começar, participe do Desafio 21 Dias Sem Carne.