Preocupado com os agrotóxicos? O risco de consumi-los é maior se você come produtos de origem animal

O projeto de lei 6299/02, mais conhecido como PL do Veneno, criado pelo então Senador e atual Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, propõe mudanças no registro, fiscalização e controle dos agrotóxicos no país e tem sido amplamente discutido e criticado há algumas semanas.

Entre as mudanças propostas, as que têm causado maior repúdio são as que alteram o nome, que, de "agrotóxico", passaria para "pesticidas" ou "produtos de controle ambiental" e também mudanças em relação às responsabilidades dos órgãos que controlam, registram e fiscalizam pesticidas no Brasil, passando a responsabilidade de registo e liberação ao Ministério da Agricultura e limitando as funções da Anvisa e do Ibama.

Entre os vegetarianos, o tema também gerou outra polêmica: por consumirmos mais alimentos de origem vegetal, estaríamos mais expostos aos riscos dos agrotóxicos? A resposta é: não!

No Brasil, a análise de resíduos de agrotóxicos é feita apenas em alimentos de origem vegetal, passando a ideia de que produtos de origem animal estão isentos desses agentes químicos. Contudo, os agrotóxicos são vastamente utilizados nas plantações de grãos que servem de alimentos aos animais — é bom sempre lembrar que, no Brasil, 79% da proteína vegetal produzida é transformada em alimento para animais — e são, na sua maioria, lipossolúveis, ficando estocados no tecido adiposo dos animais por um processo chamado de bioacumulação. Ou seja, alimentos de origem animal retêm mais agrotóxicos que alimentos de origem vegetal e quanto mais na base da cadeia alimentar o alimento estiver, menos ele vai ter acumulado poluentes e agrotóxicos.

Estudos (aqui e aqui) também indicam que o leite materno de mães vegetarianas é menos contaminado por compostos presentes nos agrotóxicos do que de mães que consomem produtos de origem animal.


Além de procurar consumir alimentos orgânicos, ter uma alimentação sem carne, leite e ovos é uma ótima forma de se expor menos aos agrotóxicos. Outra dica que a própria Anvisa dá é escolher, sempre que possível, alimentos da época, que estão em condições favoráveis para crescer e recebem uma "carga" menor desses compostos. A Anvisa recomenda também deixar as frutas e vegetais imersos, durante 20 minutos, em uma mistura de água com hipoclorito de sódio (água sanitária) antes do consumo, mas é válido lembrar que essa medida só ajuda a remover os agrotóxicos acumulados nas cascas dos alimentos.

Quer mais informações sobre como mudar para uma dieta vegetariana compassiva e, ainda por cima, mais saudável e com menos exposição aos agrotóxicos? Clique aqui para baixar nosso Guia Vegetariano Gratuito.