Acordo Internacional proíbe pesca comercial no Ártico. Saiba como nós podemos ajudar!

Segundo o VegNews, um acordo internacional assinado pelos Estados Unidos, União Europeia, Japão, Rússia, Canadá, China, Dinamarca, Islândia, Noruega e Coreia do Sul vai banir a indústria da pesca comercial em uma área do Oceano Ártico que é aproximadamente do tamanho do Mar Mediterrâneo.

A proibição vai durar 16 anos com o objetivo de proteger um ecossistema oceânico vulnerável onde o gelo está derretendo devido ao aumento das temperaturas. Este é um grande passo para a proteção de peixes e outros animais marinhos! A notícia ruim, porém, é que uma vez coberta por gelo, esta região apresentaria novas possibilidades de pesca, sem a proibição.

Com a pesca excessiva, poluição e as mudanças climáticas, estamos matando nossos oceanos a um ritmo alarmante. Não é à toa que os cientistas alertaram que veremos oceanos sem peixes a partir de 2048 (ou seja, daqui a 30 anos, quando muitos de nós ainda estarão por aqui).

Além disso, não só matamos bilhões de peixes na indústria de alimentos todos os anos, como matamos inúmeros outros animais no processo. Por exemplo, os papagaios-do-mar nas Ilhas Shetland dependem das galeotas (tipo de enguia) para sobreviver. Desde que elas começaram a sofrer com a pesca predatória, os números de papagaios-do-mar caíram drasticamente.

E isso é só o começo

Além de matar bilhões de peixes e de ser responsável pelo declínio das populações do seu ecossistema, a indústria de frutos do mar mata milhões de outros animais involuntariamente – vítimas do equipamento mortal da indústria. De acordo com a Whale and Dolphin Conservation, mais de 300.000 baleias, golfinhos e botos morrem todos os anos depois de serem apanhados em redes de pesca.

Da mesma forma, a cada ano estima-se que 50 milhões de tubarões são capturados involuntariamente, quase metade da previsão de tubarões capturados pela indústria pesqueira comercial todo ano, que deve chegar a 100 milhões de mortes devido à exploração comercial de sua carne e barbatanas.

No início deste ano, um vídeo de uma investigação secreta da Mercy For Animals, realizada na costa da Califórnia, revelou tubarões e arraias cortados enquanto ainda estavam vivos; golfinhos, leões marinhos e aves marinhas presas e mortas em redes de deriva; peixes lentamente sufocando em redes; e os tubarões ainda vivos e ofegantes quando suas caudas e barbatanas foram cortadas.


E há quem diga que peixes não sentem dor, que são a carne mais saudável para se comer, mas isso não é verdade:


Felizmente, nós podemos deixar de apoiar essa cruel indústria pesqueira com um simples gesto: deixando os animais aquáticos fora dos nossos pratos e escolhendo uma dieta vegetariana. Garanta agora mesmo o seu Guia Vegetariano GRATUITO por uma alimentação mais compassiva.